A Hipnoterapia e a magia do tempo,          Um olhar sobre a chamada regressão

14/02/2018

Tudo na vida é temporário, sim. Contudo, a maturidade pessoal - subproduto dessa temporalidade - é bastante permanente.

E é exatamente por isso que, ao trabalharmos com Regressão, conseguimos compreender a permanência - resultado da impermanência - naquilo que ela representa: sabedoria pessoal.

O mesmo ocorre quando decidimos trabalhar com a Progressão.

Há dois tipos de regressão.

1 - Temporal - dentro da linha de tempo da vida atual;
e
2 - Atemporal (para aqueles que acreditam no conceito de reencarnação).


A regressão temporal possui sua contraparte, a progressão temporal.

Na regressão temporal é possível que a pessoa faça uma varredura em seus dias passados, revisando-os, ampliando a compreensão sobre objetivos e motivos, de modo que ela se livre de conceitos errôneos aos quais anda pode estar emocionalmente apegada.

Na progressão temporal é possível permitir à pessoa mapear seus dias futuros com base em seus desejos e planos, permitindo que ela se lance criativamente a ações que tragam esse quadro à tona - a partir da imensa possibilidade de futuros a que nos submetemos de acordo com nossa postura emocional e intelectiva exercida numa base regular.

Em ambos os casos trabalhamos com elementos psíquicos, potenciais emocionais e talentos pessoais.

Na regressão atemporal, ou seja, fora do tempo/época, há o envolvimento da crença pessoal na chamada reencarnação. No entanto, dado que o tempo não existe, sendo apenas um conceito a que estamos habituados devido à forma humana de interpretar referências, não se acessam exatamente vidas passadas. Pois, todas as realidades estão ocorrendo simultaneamente.

A pessoa que interpreta a existência do tempo a partir da linearidade pode continuar acreditando nas vidas passadas e isso não interfere no processo da aquisição de informações vindas desse tipo de trabalho.

O que acessamos numa regressão é basicamente símbolos/elementos com significados próprios que atuam na tessitura e alcance da compreensão do individuo lhe dando aporte energético/emocional para lidar com as questões pessoais que ele vem cuidando através da Hipnoterapia.

Assim, quando uma pessoa compreende ter sido uma personalidade famosa da antiguidade - como uma Cleópatra ou um Napoleão Bonaparte - com a ajuda do Hipnoterapeuta ela conseguirá destrinchar esses elementos na miríade de detalhes ligados a esses símbolos e criar sua própria história desvencilhando-se de empecilhos antes não compreendidos.

Nenhuma das "modalidade de tempo" deve ser trabalhada por entretenimento. Até mesmo quando ocorrem espontaneamente devem ser compreendidas como necessária, pois em nós mesmos temos nossas soluções e ansiamos por nos dar nossas próprias respostas fazendo o que melhor sabemos: sermos mestres de nossa própria vida. 

A vida humana necessita de contexto. E por isso, nossa mente se desvela na produção de retalhos que compõem nossa psique e, consequentemente, a nós mesmos, dado que somos o resultado da organização de nossa psique. 

Imagem: Pixabay
Imagem: Pixabay

A mente humana é uma fabricadora do que chamamos 'sonhos'. E somos nós quem damos aos sonhos a trilha mais adequada visando o resultado desejado. O equilíbrio de nossa singularidade repousa no destrinchamento respeitoso e delicado que damos a essa fábrica de sonhos. Pois sonhos são apenas possibilidades. E essas possibilidades, por sua vez, se escondem nas instâncias a que chamamos 'tempo', compartimentos pessoais próprios que funcionam como armazéns de nossos potenciais. Pois, ao final, o que importa sempre são os melhores resultados. E disso a Hipnoterapia entende.