Saúde Mental

27/05/2020

A Federação Mundial de Saúde Mental instituiu o Dia Mundial da Saúde Mental como 10 de outubro. No entanto, sempre é tempo para pensarmos sobre a saúde de nossa mente. 

Dificilmente detectamos quando nossa mente está com problemas, pois somos nós mesmos os envolvidos em praticar os elementos não saudáveis que expressam o desequilíbrio mental. E encontramos diversas justificativas, onde geralmente o outro é o responsável, para manter comportamentos que nem sempre são saudáveis. 

Saúde mental não tem a ver exatamente com doença da mente. Doenças mentais estão relacionadas a transtornos.  Saúde mental está relacionada à manutenção do comportamento equilibrado, que gera o bem-estar pessoal 

São termos sutis, mas que, se olharmos mais de perto, conseguimos entender mais aprofundadamente a fim de cuidarmos de nossa saudê mental de modo a não termos transtornos mentais. 

Transtornos mentais são gerados por alterações no sistema nervoso central e entre eles - diversos - podemos citar alguns como depressão, desordens do sono, ansiedade, fobias, pânico, estresse pós-traumático, bipolaridade, esquizofrenia, anorexia, somatização, disfunções sexuais, parafilia, entre outros. 


"O DSM-5, oficialmente publicado em 18 de maio de 2013, é a mais nova edição do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais da Associação Psiquiátrica Americana. A publicação é o resultado de um processo de doze anos de estudos, revisões e pesquisas de campo realizados por centenas de profissionais divididos em diferentes grupos de trabalho. O objetivo final foi o de garantir que a nova classificação, com a inclusão, reformulação e exclusão de diagnósticos, fornecesse uma fonte segura e cientificamente embasada para aplicação em pesquisa e na prática clínica. "

[Alvaro Cabral Araujo, Francisco Lotufo Neto, FMUSP, "A nova classificação Americana para os Transtornos Mentais - o DSM-5"]


Saúde mental, por sua vez, diz respeito a cuidados básicos que nos ajudam a manter nosso equilíbrio pessoal.  Dormir bem, respeitando sua natureza, manter contato com pessoas de quem você gosta, evitar o uso de álcool em excesso, treinar sua mente, evitar o sedentarismo - são algumas das práticas que podemos incluir em nosso dia a dia evitando, desse modo, situações de estresse, preocupação e, consequentemente, mantendo o equilíbrio pessoal que, desse modo, colabora para com a saúde mental. 


"De acordo com a Organização Mundial da Saúde, saúde mental é um estado de bem-estar no qual o indivíduo é capaz de usar suas próprias habilidades, recuperar-se do estresse rotineiro, ser produtivo e contribuir com a sua comunidade."' 

[Pense Sus, Fio Cruz]


Nosso comportamento pessoal versus sociocultural é o principal elemento para concluirmos se estamos bem ou não. Comportamentos que nos geram relacionamentos de bem-estar indicam que estamos bem em termos de saúde mental. Comportamentos contrários nos indicam que podemos estar na via contrária.  

Você mantém julgamentos rígidos que fazem com que as pessoas se afastem de você? Tem inveja? Desdém? Falta de respeito para consigo e para com os demais? Inclina-se em demasia para o cuidado com a vida do outro deixando de lado a sua? Isola-se do convívio social? Mantém situações de raiva, vingança, menos valia ou agressividade a ponto de ferir-se ou desejar ferir o outro? Necessidade de atenção em demasia? Falta de amor próprio? Retém remorsos, culpas? Falta de cuidados para com seu corpo e seu entorno doméstico? insegurança ...desnecessária? 

Ao analisarmos a qualidade de nossa vida, podemos saber também que estamos na via correta para manter nossa saúde mental. Observarmos nosso comportamento - de modo mais imparcial possível - e procurarmos tratar os demais como gostaríamos de ser tratados sempre ajuda a mantermos nossa sanidade emocional. E no que tange às nossas próprias emoções, sempre vale a pena nos apoiar a fim de garantir a saúde de nosso sistema físico, emocional e...mental. 


É gostoso cuidar de nós mesmos, nos tratar com carinho, com mimos. E podemos fazer isso em nossa rotina diária através de pequenas ações. Uma lista de coisas que podem nos trazer bem-estar pode ser uma boa ferramenta. E, a ela, vamos acrescentando outras descobertas que vamos fazendo  conforme vamos realizando os primeiros itens nessa lista. Afinal, quebrar a rotina de modo prazeroso é importante para não nos condenarmos a padrões que perdem sua força conforme os repetimos. Usar nossa criatividade é imperativo para percebermos o quão inventivos podemos ser. Vale a pena apostar nisso. 


No caso de trabalharmos nossa mente, outro recurso importante e sempre útil é recorrer à terapias. Investimento mais do que valioso, é importante percebermos que não buscamos terapias apenas quando estamos com problemas, mas quando estamos bem. A fim de nos mantermos, pois: tomamos banho regularmente, regularmente escovamos os dentes, penteamos nossos cabelos...e até em relação à estética no que tem a ver com cuidados da pele, das unhas, das roupas...então porque não cuidamos com a mesma atenção de nossa mente? Mudar a perspectiva com a qual olhamos para nós mesmos é essencial para nos mantermos sempre bem. 

 

 Hipnoterapia como tratamento terapêutico para a saúde mental 

A Harvard Health Publishing menciona em seu artigo "Hipnose como terapia de saúde mental" que as análises sobre a Hipnoterapia têm fornecido evidências científicas válidas e seguras sobre a eficácia da Hipnoterapia enquanto prática terapêutica para a saúde mental. 

[Harvard Mental Health Letter, Harvard Health Publishing]

Através de sessões regulares - uma por semana - a Hipnoterapia tem sido utilizada de modo eficaz para o combate ao estresse, desordens emocionais e comportamentais garantindo, desse modo, a cessação de hábitos compulsivos e a ampliação da noção de si mesmo, levando o indivíduo a aprofundar o autoconhecimento e a utilizar seus próprios recursos como forma de manter o bem-estar natural.


Gerando resultados entre a primeira e quarta sessões, a Hipnoterapia se centra no relaxamento, sugestões e até mesmo visualizações. Através de diversas técnicas, além das mencionadas, sempre seguindo a natureza pessoal - por isso a importância de sessões personalizadas -, a Hipnoterapia colabora para com a saúde mental numa base constante. 


Como fazer sessões de Hipnoterapia?

Para realizar sessões hipnoterápicas basta buscar um Hipnoterapeuta de confiança, entrar em contato falando a respeito do problema que deseja tratar e dar andamento ao modo de trabalho dele - geralmente ele lhe envia uma ficha de anamnese, através da qual você especifica suas questões pessoais a serem tratadas através da Hipnoterapia. A partir daí vocês falarão a respeito de disponibilidade em agenda, valores e condições pertinentes. 

As sessões podem ser realizadas presencialmente ou online, a qualidade das sessões é a mesma, pois...o Hipnoterapeuta não toca em você. Ele trabalha a partir de sugestões. Assim, o atendimento à distância é seguro e gera resultados eficazes.